segunda-feira, 12 de junho de 2017

O NEGÓCIO É O SEGUINTE: Trabalhar em casal pode render bons frutos, mas é tênue!




                      Eu e Rodrigo nos conhecemos desde nossos 12/13 anos de idade, quando fomos escoteiros juntos e nos víamos todos os sábados nas reuniões do grupo e durante a semana, no Distrito Escoteiro também. Nos víamos na casa da Gilda, que agregava todos os escoteiros. Ela era a Akelá dos lobinhos e mãe do nosso amigo Arnaldo e dos chefes e amigos Rodrigo e Altamiro. Éramos um grude!

                     Nos víamos sempre e eu estranhei muito quando ele foi para a EPICAR em Minas e depois foi morar em Ibirité. Ficamos anos sem nos vermos e trocando cartas. Ele fazia umas visitas surpresas.

                   Éramos amigos, ele era meu melhor amigo, na verdade. Saímos do grupo escoteiro e continuamos nos falando, nos vendo e surgiu a vontade de namorar. Namoramos pouco, porque não resisti ficar tão longe do meu namorado e queria uma vida a dois mais simples e um companheiro de verdade. A distância atrapalhava demais.

                  Esse é o início da nossa história. Com 29 anos, Rodrigo me reencontrou a partir de uma base de dados da empresa telefônica onde ele trabalhava. Eu tinha acabado de solicitar a linha telefônica. Foi uma grata surpresa.

                 Desde então, não desgrudamos mais.

                Começamos a morar juntos e trabalhamos juntos em algumas situações.

                 Na empresa americana onde eu era Country Manager, ele era responsável pelo Comercial e pelos estudos acerca de bancos de dados digitais.

                Depois, vim para casa, montei o SPA BRAZIL ZEN e ele era meu sócio.

                Depois, já na Biblio Ideias ele e eu trabalhamos juntos em alguns eventos de endomarketing, neste caso, ele como meu cliente na LIG TELECOM, e eu como agência de marketing, o que rendeu o case no programa Avançar do Santander, que você confere AQUI.

Foto da Letícia Veras para ação de endomarketing na Lig Telecom


Depois, na Biblio Ideias, ele abriu a parte da estamparia, a Biblio Ideias Customs e fizemos alguns eventos juntos e agora inclusive o Miguel é nosso sócio.

Eu amo trabalhar com Rodrigo, porque tenho admiração por seus talentos, confiança nele e adoro atingir grandes metas e resultados juntos, mas nem sempre é fácil. Lidar com as frustrações, com os prazos curtos, com pouca grana, com os prazos apertados. Tem hora que a chapa esquenta e o relacionamento sofre ou quase não há espaço para curtir a dois. Mas, aprendi muitas coisas em 13 anos de relacionamento e trabalhando juntos de uma maneira ou de outra.



Stand no Mega chá de Lingerie da Anastácia, na Tropical Festas pela fotógrafa Gisele Soares

Quando a equipe percebe a sinergia do casal, tudo flui. Quando o casal briga, a equipe sente. É delicado! Precisa cuidar da relação, precisa cuidar da atmosfera no trabalho e em casa, e dar limites para o outro, ter limites e separar os assuntos e territórios.


Esse O NEGÓCIO É O SEGUINTE é inspirado em você que trabalha ou pensa em trabalhar com seu Amor.

"Segundo pesquisa divulgada pelo International Stress Management do Brasil (ISMA-BR), casais que trabalham juntos entendem melhor as angústias e a carga horária do parceiro. A produtividade também é elevada. Em geral, eles ficam cerca de 12 horas diárias no emprego, enquanto a média nacional é de 9 horas.
Porém, não raro a proximidade excessiva faz com que a relação caia na monotonia e o casamento entre em crise. Viviane Scarpelo, psicóloga especialista em terapia de casais, afirma que relacionamentos afetivos entre sócios correm o risco de se desgastar mais facilmente porque eles não colocam limite para o trabalho. Segundo ela, os problemas da empresa são discutidos no café da manhã, no almoço, no jantar e em outros momentos em que o casal poderia descontrair, namorar ou conversar amenidades."
                     Antes de começar, ou se já começou a trabalhar com seu Amor, preste atenção em alguns pontos:
                    Negócios podem falir, relacionamentos podem acabar, então cuidado tanto com seu negócio quanto com seu relacionamento. Ambos exigem dedicação e que cada um esteja por inteiro e não vale confundir intimidade com falta de educação.
                   Uma coisa que me exercito a fazer nos momentos de conflito é falar com Rodrigo como se eu estivesse falando com um colega de trabalho. Com respeito e carinho, com educação e não acho mais que o Rodrigo ou algum amigo ou familiar que trabalhe comigo deva se matar o tempo inteiro para que as coisas deem certo. Outra coisa é cuidar do tom, às vezes sai um tom mais de "chefona" ou cliente incomodada e aí tem que rebobinar a fita e recomeçar!
                   Evito trazer os problemas para a cama, para a mesa, para nossos momentos juntos. Aprendemos a ter tolerância com a carga horária do outro.
                   Aviso logo quando vou precisar dele ou de alguma entrega para que ele se organize no tempo dele ou me avise se não poder cumprir, para que eu trace um plano B, como faria com outro profissional que não fosse ele.
Veja mais dicas AQUI
                 Eu acho fantástico poder construir e realizar algo juntos, mas é bem difícil manter o clima, o bom humor e não ter alta expectativa sobre o outro. Não rola climão, textão, chiliques e falta de educação ou isso contamina todo mundo.
                  Já tivemos momentos péssimos e tivemos momentos ótimos. Dá para sair mais fortalecido.
                 Meu sonho é ter nosso negócio incrivelmente sendo sustentável e vivermos do que amamos fazer, sermos donos da nossa agenda e tal.
               Mas, vira e mexe é necessário o Rodrigo fazer outras coisas porque um negócio pode levar no mínimo 18 meses para dar retorno, então não é fácil.
            Tudo isso deve ser conversado entre casais que trabalham ou que pretendem trabalhar juntos.
Olhe que inspirador:

 Empreender em casal pode dar certo: a Eventbrite cresceu rápido, conquistou espaço no mercado e já vendeu mais de US$ 1 bilhão em ingressos.

Bacana, né? Leia dicas incríveis que o SEBRAE preparou para quem quer ter um negócio com seu Amor ou já tem um negócio a dois!
AQUI
Conte para gente se você tem um negócio com seu Amor e como é trabalhar e viver a dois.
A divisão de tarefas da empresa não deve se espelhar na divisão de tarefas domésticas que, muitas vezes, é desigual e baseada em padrões de gênero. A não ser que seja definido, por ambas as partes, adotar uma hierarquia diferente, as opiniões dos dois lados do casal precisam ter o mesmo peso na hora de tomar grandes decisões. É extremamente importante, para os homens, perder o medo da impotência pelo papel da mulher na gestão do negócio.
Por isso, assim como deve ser no relacionamento, é preciso saber lidar com o fato de que seu parceiro tem opiniões diferentes. Um segundo ponto de vista pode ajudar a enxergar outros aspectos de uma situação e levar a uma tomada de decisão mais assertiva.
Olhem que ação de marketing legal do SEBRAE! Participe!


E tem evento do SEBRAE para ajudar aos casais, espia:

Facebook Live

André Dantas, especialista em finanças, e Lígia Pereira, psicóloga, vão participar do bate-papo Empreender a dois: como conciliar amor e negócios. Eles vão falar sobre como casais empreendedores podem equilibrar as contas pessoais e da empresa e as melhores maneiras de resolver conflitos no relacionamento e no ambiente de trabalho.
A transmissão será no dia 14 de junho, às 15h, no Facebook do Sebrae. Não perca!
Feliz dia dos namorados!! Negócio e vida a dois de sucesso para vocês!

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...