quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Obrigada 2015!



          E então chegamos ao fim de 2015 e suas metas foram cumpridas? Não? Relaxa! Nem as suas, as minhas e as do governo.
          Neste ano foi realmente difícil adequar algumas metas a realidade que vivemos, mas a vida é assim. Imprevistos acontecem e precisamos estar preparados para enfrentá-los.
          Por estes dias, naturalmente, fiz um breve balanço do meu ano, não foi excepcional, por exemplo, lembro que na virada passada tinha planejado correr a São Silvestre. E juro que não era blefe! Mas tive uma séria lesão que ainda estou tratando... Olha aí um imprevisto nada agradável. Que não tem nada relacionado à economia ou politica.
          No entanto, tive a felicidade de dividir o que sei e, principalmente, ter a oportunidade de aprender muito mais escrevendo semanalmente nos textos sobre educação financeira. Para quem lê por parecer que é simples, mas para uma economista escrever não é tão trivial.
          Nos últimos seis meses, aprendemos a fazer um Kit Dia dos Namorados econômico (Como agradar sem gastar horrores). O presente para o “Mozão” não saiu tão absurdo assim. Dei uma chacoalhada na dependência financeira (Independência Financeira já!) e convidei a mulherada para a libertação rumo à independência. Chamei a atenção que amor numa cabana não vinga e que o casal deve pensar como os gestores de empresa, ou seja, Planejar não só na alegria.
          E as férias de Julho com as crianças? Também teve texto com várias dicas que podem ser usadas agora em Janeiro: Como sobreviver aos custos das férias de meio de ano com os filhos.
          Em pleno 30 de junho, estava escrevendo promessas para mesmo ano. Pois é, neste chamava para sair do comodismo para parar de pagar caro pelos maus serviços prestados: Feliz 2015! Neste ano eu prometo...
          Na semana seguinte veio a bomba, a crise estava assustando da maneira mais perversa, causando corte dos postos de trabalho: Desemprego: como podemos enfrentá-lo? Então, listei uma série de dicas que recomendo usarmos em 2016.
          Depois, fiz uma comparação entre a poupança com outros investimentos destacando a passividade e conforto do que nos é conhecido em Saia da zona de conforto nos investimentos. E ainda incluí um texto lindo da Martha Medeiros “AINDA DÁ TEMPO PRA TUDO.” 
          No dia do Amigo, Como é bom contar com os amigos! Apresentei os limites e riscos de assumir dívidas em nome do “camarada”.
          E por que precisamos nos controlar? Está lá no: Diário do Consumidor – Por que anotar?
          No dia dos Pais escrevi um texto que não somente dava dicas de compras, mas sugeria exemplos: Dia dos Pais: Dê exemplos de presente!
          Quando o discurso encontra a realidade, foi o texto inspirado em situações reais. Onde confirma que ter reserva financeira facilita para situações de emergência.
Não adianta falar de reserva se não conhecermos onde investir, por isso o texto: Você conhece os produtos de renda fixa privado?
          Chamei atenção de muito marmanjo que pensa e age como adolescente com: ASSUNTO DE GENTE GRANDE.
          E um dos textos mais polêmicos que escrevi. SÓ UMA TRAIDINHA, PODE? E isso é mais comum do que podemos imaginar entre os casais.
          Em Chega de ser Gabriela! Apresentei os benefícios de se ter liberdade financeira e poder realizar os sonhos.
          O que vi de uma crise e Oquê tenho aprendido com as crises foram textos complementares para mostrar que nem tudo é tão ruim ainda que estejamos no olho do furação. Concluí com Ésó uma fase! Vai passar! Onde a alta do dólar assustava a todos.
          E, em tempos de desemprego, os brasileiros se tornam empreendedores. Então o texto: Enasce um empreendedor... apresentei dicas.
          No dia das crianças, escrevi uma carta: Se eu fosse você... Uma carta para minha menina...
          Nos textos: Não conte com ela! e Se não dá para contar com o INSS, o que temos para hoje?, escrevi sobre aposentadoria.
          O que você sabe sobre economia criativa? Pois é, também aprendi. Foi no texto: Enquanto Houver Sol, falo dela e ainda apresento o workshop que farei em 20 de janeiro sobre planejamento financeiro.
          Depois, veio o texto da neura da Black Friday. (Você precisa da Black Friday?) Precisou comprar tudo neste dia?
          Fiz o questionamento: Até que ponto vale a busca por ficar milionário?
          Tive que tocar num assunto delicado, porém muito real: Violência Financeira contra o Idoso – Você vai chegar lá!
          E esta foi minha retrospectiva de textos de 2015.
          Espero ter contribuído para tonar sua vida mais educada financeiramente e menos neurótica com dinheiro.
          Dá para realizar metas e sonhos, às vezes, adiados, nunca cancelados!

          FELIZ 2016!!!


Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...