quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Papo de Quinta: Eu sou neguinha e acredito na união das cores, e você?

Bem, o Papo de hoje é com café, pão de batata doce e torta de maçã. Em uma pausa, depois de um dia calorento, onde o computador foi reinstalado. O Windows, o Office e agora tento instalar o Outlook para gerenciar os e-mails. Caos nas tarefas com o computador sem funcionar direito a semana toda!

Véspera de feriado, um milhão de tarefas, 3 projetos extras, cliente novo indo fazer evento e precisando de gráfica rápida.

Então, melhor respirar e escrever minha coluna após esse café gostoso e me preparar para o feriado. Quando tem feriado, é pior para o tipo de trabalho que fazemos. Não que não curtamos feriado, que venham muitos, felizes, bem vividos e com grana no bolso e clientes satisfeitos, mas é que sobra menos tempo para reunião, agendar campanhas, passar tarefas para os criativos e tudo mais. Ainda mais que amanhã é dia de falar da consciência negra e esse mês, enfatizamos a blogagem coletiva para algumas datas que consideramos importantes, com o conteúdo temático em cada blog que gerenciamos, com foco em seu nicho específico.

Eu tenho um briefing e muitos assuntos para falar aqui na quinta-feira com você, mas tem horas que me dá um branco e eu me pergunto: melhor rever?

Então, revisitando a data, e inspirada pelo fato de que todos os blogs que gerenciamos terão amanhã posts sobre a consciência negra, lembrei que eu sou neguinha, gente e vou falar de como a propaganda pode ajudar a combater o preconceito ou trazer a discussão. Além de promover seu produto ou serviço, sua propaganda pode trazer sua filosofia de vida, ou questão social que te mova, assim como vamos mostrar a Benetton, inspirada pelo dia da consciência negra.

Desde criança convivi com várias cores (família miscigenada) dentro de casa e isso para mim é extremamente normal, mas ao crescer, fui percebendo que isso não é tão normal assim e vivemos em um país, que foi construído usando a mão de obra forçada de negros escravos, que trouxeram sua cultura e suas raízes para formar as nossas e ainda assim, temos preconceito racial.

Uma vez fui arrebatada por uma propaganda e me apaixonei desde então pela publicidade! A campanha era da United Colors of Benetton. As cores e nações unidas pela moda. Manifesto e um cutucão para refletirmos no plim plim da novela e ali eu  enxerguei  que a propaganda pode sim ter um cunho social, ter uma mensagem positiva atrelada e até mesmo mudar comportamento ou pelo menos levar a reflexão. Eu devia ter uns 8 ou 9 anos e o Oliviero Toscani, fotógrafo à frente da campanha da marca, me arrebatou! A Benetton vende roupa para homens, mulheres e crianças e tem uma proposta bem colorida, daí a pegada do UNITED COLORS OF BENETTON. Os Benetton criaram a marca em 1955 e ela está até hoje cumprindo seu papel social e deixando as pessoas mais bonitas, em uma moda que não é ditadora. Em sua revista, há o manifesto pela igualdade de gêneros. Vai ver.

Quando vi a primeira propaganda da Benetton, eu era criança e vivia nos anos 80, quando vivíamos no Brasil, uma pós ditatura e a sociedade ainda achava um absurdo uma branca casar com um negro. Nesse país miscigenado, Papai? Acredita? E o padrão de moda, alta costura, beleza magra e as modelos todas iguais não foram a pegada da Benetton. Amava ver a campanha na TV, em revistas, em outdoors e isso era muito diferente da publicidade que se praticava na época e a moda era muito ditadora. A ideia de liberdade, diversidade eram transmitidas com força no editorial e o contexto era absolutamente o oposto do que eles pregavam. Hoje é normal esse tipo de campanha, os caras lideraram esse grito de liberdade e democracia.

Dentro da minha família, sempre fui chamada de Preta, Pretinha (Enquanto corria a barca) e também Neguinha, pela Nana, minha amiga. Eu sou neguinha!!! Já ouvi de amigos negros: Marcelle é Preta Rapá! E acho que sou sim, sou branca de alma negra, porque amo tudo que diz respeito à negritude, admiro muito a raça negra! Sou apaixonada! Na primeira exibição de Escrava Isaura, Roger, meu primo, que mais parecia um alemão (nossa família tem várias cores, graças a Deus), me chamava de "Minha Escrava Isaura" e essa novela me marcou pela questão da luta pelo abolicionismo e pelas atrocidades que as pessoas negras sofriam, que me doíam a alma só de ver ali encenado na novela. Nunca aceitei discriminação racial.

Convivi com uma comunidade de estudantes Nigerianos, Cabo-verdianos e adorava estar com eles, tenho amigas que trançavam meu cabelo todo  (né, Eda?) e vivi o preconceito do outro lado...uma branca querendo se passar de negra e fui vendo que tem muito mais a ser conversado nessa história. Mas, tudo bem!

Hoje, à frente de uma agência de marketing digital, eu quero deixar registrado aqui meu fascínio pela campanha transformadora da United Colors of Benneton, na véspera do dia da consciência negra. Hoje, é moda ter black power e diversidade, mas quando o Toscani começou a sua campanha, era chocante, muito novo e uma quebra de paradigma. Parabéns! Isso me abriu os olhos e sempre que via as fotos da minha família e com meus amigos, eu pensava nisso: United Colors of Benetton! Que as cores se unam no mundo todo, sempre! Que tenhamos consciência da origem de cada povo, cada raça e possamos dar nossa melhor versão para absorver o que cada raça tem de melhor! Ah, e sempre quis usar as roupas! Pela liberdade e diversidade associada às campanhas.

Campanhas da Benetton que tem tudo a ver com consciência negra:







E um clip da Vanessa da Matta para você curtir esse dia: Eu sou neguinha! E amo todas as cores!



Conheça aqui algumas outras campanhas da Benetton


Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...