terça-feira, 4 de agosto de 2015

Se relacione de mulher para para mulher com a sua mãe (e irmãs se tiver)

     Oi gente, tudo bem?
    
     Hoje gostaria de compartilhar com vocês uma coisa muito particular. :) 
     Dia desses, me peguei pensando em como seria ter filhos em meio ao turbilhão de coisas que andam acontecendo em nosso mundo doido, e em particular, como seria ter uma filha no meio dessa loucura toda. Então, resolvi escrever uma carta para ela, para que ela pudesse ler no futuro, como uma forma de ajudá-la a ter uma vida menos dura, e mais consciente da forma como tenho enxergado as coisas. 

          Carta à filha que um dia eu terei:

          Querida filha, 

          Hoje, dia 15 de julho de 2015, escrevo para o futuro, na esperança de que um dia leia essas palavras. Parece uma ideia meio maluca, mas eu sei que no tempo certo isso fará algum sentido. 
          Quero te contar sobre como andam as coisas por aqui. Quero te falar quem sou eu. Quero te fazer um pedido afetuoso, sobre a forma como devemos nos relacionar, para que a vida seja menos dura e madrasta, com você e comigo.
          As coisas por aqui não está lá essa maravilha toda. É tanta violência, crise (sim, nosso país passa por uma crise financeira tenebrosa), falta de amor, de compreensão, que parece idiota a ideia de querer colocar um ser no mundo, mas eu quero, um dia, não agora. Vamos deixar a poeira baixar. Mas o objetivo do meu contato é que quero fazer um contrato com você.
          A primeira coisa que quero te pedir, e talvez a mais importante, é que você se relacione comigo, de mulher para mulher. Esqueça a hierarquia entre pais e filhos e seja minha cúmplice. Veja em mim uma mulher doce e amável, mais do que uma mãe afetuosa, ciumenta e turrona (por que é assim que eu imagino que serei). Veja em mim uma amiga com quem pode contar, desabafar, dizer segredos, falar de meninos e de seus romances de adolescente… Não me tenha como exemplo, ou como inspiração, pois como todos os seres humanos, eu também falho.
          Nossa sociedade hoje não é, e isso já faz tempo, o lugar mais democrático para as mulheres, e a única forma que temos para combater algumas injustiças é estando juntas em um propósito. Por mais que achemos que nossa sociedade é moderna, ainda sofremos com "hábitos" primitivos por parte de alguns que julgam o corpo da mulher como sendo público, que se vêem no direito de tocar mulheres sem consentimento, as vezes de forma violenta, as vezes em forma de insulto, de cantadas na rua, que se sentem no direito de inferiorizar mulheres só porque são mulheres.
          Querida, não se assuste se quando você chegar, as coisas continuarem como estão, pois esses fatores culturais são antigos demais para cessarem da noite para o dia, contudo, ainda assim quero que seja forte, e continue o que comecei. Te prometo que você vai crescer rodeada por pessoas que pensam como a mamãe, e fazem de tudo para que passamos viver em um lugar mais justo, prometo também te ensinar um caminho mais fácil para ser feliz consigo mesma, sem cair nas armadilhas comerciais da ditadura da mídia e da beleza. Prometo que seu corpo não será um problema, porque vou te ensinar a amá-lo e respeitá-lo como um templo sagrado que faz girar a engrenagem da vida. 
          Prometo ainda não ter segredos com você, e que nossa relação de amizade será mais forte que os laços de sangue que vamos ter. Quero que entenda, mais rápido do que eu, que mães não são inimigas. Precisei sair de casa e perambular muito pela vida para perceber que a minha mãe era a melhor companheira de caminhada que eu poderia querer, e que mesmo ela tendo pensamentos diferentes dos meus, sua intenção sempre foi zelar pelo que ela acreditava ser o meu bem. 
          Além do amor incondicional, quero ensinar a você o que é caráter, o que é respeito, o que é amizade. E mais do que isso, quero te falar sobre o que é liberdade. Você perceberá, ao longo da sua vida, que sua querida mãe pode não pensar igual às mães das suas coleguinhas da escola, ou da rua, mas com o tempo, perceberá que são apenas pontos de vista diferentes, e que nessa história não há certos, errados ou inimigos, e sim, pessoas que escolheram ver a vida de jeitos distintos. 
          No mais, minha filha, quero que se orgulhe de mim, porque todas as coisas que faço hoje são para que você e nem as demais meninas da sua geração não precisem passar por alguns desaforos que passamos até aqui. 
          

Beijos carinhosos, mamãe.



Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...