quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Papo de Quinta: o ovo no piiiii da galinha

 
 
     Sabe aquele ditado popular "Não conte com o ovo no piiiiiiiii da galinha?" Pois é, essa deve ser uma máxima praticada por todos nós em tempo de crise e especialmente por autônomos, empreendedores e especialmente por nós mulheres, que temos como padrão fazer conta, parcela, jogar para frente para rebolar ou fazer o malabarismo para nos mantermos alinhadas com o que julgamos necessário para promover nossa imagem, investir ou reinvestir em nosso negócio, presentear familiares e amigos e até mesmo clientes, etc etc etc.
 
     Uma das grandes dificuldades de ser dono do seu próprio negócio é que você depende da sua receita e não tem muito controle sobre ela, principalmente se seu negócio é volátil e você não retém os clientes ou não conta com uma mensalidade, por exemplo e precisa conquistar um novo cliente a cada momento.
 
     Muitas vezes você tem dinheiro para receber na praça, contas para pagar e vive a angústia do timing não acontecer, ou seja, o que você tem para receber (entrada) e o que você precisa pagar (saída) não se encontram.
 
     Se você tem seu emprego fixo, salário fixo, ou dinheiro guardado e resolveu empreender, vale a pena ter em mente que nem sempre aquele contrato vai vingar e vai ser cumprido até o final, porque os clientes mudam de ideia e desfazem o contrato e provavelmente você não tem um departamento jurídico para cobrar os clientes (isso custaria caro no momento) e você vive passando vergonha e precisando pedir mais prazo para seu fornecedor, cliente e muitas vezes nem consegue pagar contas básicas para fazer seu negócio girar, sem mexer na sua conta pessoal, pedir emprestado, pedir para o marido (ou esposa) ou para um amigo.
 
     Dependendo do tempo que você esteja empreendendo e da natureza do seu negócio, você vai levar um tempo para entender esse fluxo de grana (entrada e saída) e a situação ideal, segundo nossa planejadora financeira Fernanda Brum, é você ter guardado pelo menos o valor que cubra 1 ano de despesas sem sustos, em caso de baixa de clientes e receita.
 
Na coluna "O negócio é o seguinte" desta semana, falei sobre preço e valor e no "Papo de Quinta" da semana volto a falar sobre dinheiro.
 
 
Por que?
 
Se você trabalha, investe seus recursos (tempo, dinheiro, internet, luz, materiais, etc etc etc) você precisa ter um negócio sustentável e fazer essa conta bater ou vai se frustrar, dever aos montes, se chatear e até desistir do seu negócio.
 
 
Se você está empreendendo e não tem fluxo de caixa, não tem um salário fixo, não tem um sócio investidor, pensamos em algumas saídas para você mudar esse quadro:
 
1- Não conte com o ovo no Piiiiiiiiii da galinha. Independente do projeto, cliente pagante ou situação, o dinheiro que ainda não entrou, não deve ser levado em conta por você. Não use o dinheiro da sua empresa para pagar contas pessoais ou não reinvista se você ainda não pagou a equipe e os insumos para seu negócio funcionar, porque aquele dinheiro esperado, pode sim demorar mais do que o normal para entrar na sua conta ou nem entrar.
 
2- Tenha cartas na manga. Muitas empresas tem duas marcas, uma top, para público A e outra para público classe C, por exemplo. São empresas do mesmo dono, com produtos diferentes ou com entrega de valores diferentes para você ganhar tanto no volume (no que for mais barato) quanto no valor cobrado para um público mais exclusivo.
 
3- Tenha mais cartas na manga, pense e escreva o que você tem de recursos internos e pode fazer para gerar dinheiro rápido para você resolver questões rápidas. Hoje, o empreendedorismo digital permite que você monte um curso fechado, cobre por uma aula, uma consultoria online e fature algum dinheiro sem gastar muito, a não ser recursos que você já tenha, como computador, internet, no caso dos e-books, por exemplo. Queimar estoque, fazer isso girar e virar receita, muitas lojas vendem o seu mostruário para trocar e reformar a loja, não é verdade? Pense em algo assim. Afiliados podem ajudar a vender sua consultoria, produto ou serviço, aumentando suas vendas e também ganhando algum dinheiro. Vamos numa corrente para frente!
 
4- Peça ajuda, converse com equipe, parceiros, clientes e peça indicações para aumentar suas vendas. Tente vender mais produtos e mais serviços para seus clientes atuais, mantendo uma comunicação direta com eles e pensando em produtos e serviços que agreguem valor ao que você vende. Clientes já são pessoas que te conhecem e confiam em você e podem estar mais abertos a comprar novidades. Faça um pré-lançamento para quem já faz seu negócio funcionar. Dê exclusividade.
 
 
5- Tenha claro quanto você precisa para funcionar e vá construindo sua reserva aos poucos.
 
6- Procure um sócio investidor e tenha as regras claras entre vocês para o negócio crescer. O que está combinado não sai caro.
 
 
7- Respire, ande e se distraia. Tenha hora para começar a trabalhar e para terminar o dia de trabalho também. Trabalhar 24h só vai te exaurir e você vai começar a deixar a desejar na qualidade do que entrega. Pausas a cada duas horas de trabalho (ouça uma música, tome um café, dê aquela espreguiçada) e uma rotina com convivência com amigos, familiares e fazendo coisas que te deem prazer, além da TV , como ler um livro, fazer um esporte, cultivar um hobby, permite que sua criatividade aflore e você diminua a pressão sobre si mesmo.
 
 
8- Faça "colchões" ou "potes" como diz a Coach financeira Ana Paula Santos para você reinvestir no seu negócio, se inscrever naquele curso ou evento e meça bem como e onde investe seu tempo e seu dinheiro, recursos muito importantes para você. Isso deve estar alinhado com suas metas principais e você deve escolher usar seu tempo e recursos financeiros para atividades, ou investimentos no que te colocará o mais perto das duas 3 grandes metas. Senão, diga não!
 
 
Outro dia ouvi dizer de um cliente que dinheiro não aceita desaforo. Ele cresceu ouvindo isso e fez um grande patrimônio, mesmo tendo vindo de uma família pobre. Ele faz boas escolhas e investimentos e faz o dinheiro trabalhar para ele e acredito que o sonho de todo empreendedor seja esse, afinal, quando decidimos trabalhar para nós mesmos, além de uma paixão transformada em talento que dão o tom do nosso negócio, há um desejo de ser livre e fazer o que queremos com nosso tempo e com nosso dinheiro. Esses recursos são muito importantes e sua satisfação vai ter a ver com o que é importante para você.
 
Então eu te pergunto?
 
O que é realmente importante para você?
 
Onde você deseja estar daqui a 1 semana?
Onde você deseja estar daqui a 1 mês?
Onde você deseja estar daqui a 1 ano?
Onde você deseja estar daqui a 5 anos?
Onde você deseja estar daqui a 10 anos?
 
Evite parcelas e se endividar. Calcule quantos clientes, atendimentos ou produtos vendidos você precisa para conquistar cada pote, ou cada colchão e para atingir suas metas a curto, médio e longo prazo.
 
Que recursos internos você tem?
Que recursos externos você tem?
Que recursos internos você precisa?
Que recursos externos você precisa?
 
Quais ações você pode tomar agora ao terminar de ler esse post? O que você pode fazer ao longo da semana, do mês, do ano?
 
Escreva tudo e tenha esse diário de sonhos e recursos necessários com você. Revise todos os dias e vá fazendo ajustes necessários.
 
Tenha ajuda profissional, porque nem sempre é fácil implementar dicas genéricas, porque cada caso é um caso.
 
Recomendamos tanto a Fernanda Brum, economista e planejadora financeira, quanto a Coach financeiro Ana Paula Santos, que podem te ajudar a parar de contar com o ovo no Piiiiiiiii da galinha!!!
 
Elas atendem através da internet e são acessíveis! Entre em contato!
 
Depois me conta! Vou adorar saber e já estou me inspirando com você!
 
´Não é  fácil, mas é possível viver do que você faz com paixão e sendo dono do seu tempo!
 
 



Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...