quarta-feira, 29 de julho de 2015

Diário do Consumidor – Por que anotar?

Nos meus atendimentos de planejamento financeiro um dos primeiros passos é entregar um orçamento bastante simplificado onde o atendido lista suas receitas e despesas.
Esta folha é respondida rapidamente, pois são contas que estão na nossa cabeça e no final quando somamos juntos chegamos à conclusão que a despesa não está encaixando com a receita.
O cliente fica sem entender muito bem onde está o erro na planilha, tenta lembrar se faltou considerar outra fonte de renda, se supervalorizou alguma despesa... Mas na verdade, o que aconteceu será revelado ainda pior quando eu apresentar uma lindinha caderneta intitulada “Diário do Consumidor”.
Neste momento, as reações de negação são imediatas! Poucos foram os que disseram que fariam, sem dificuldades, as anotações diárias.
Realmente é bem chatinha! Eu confesso, já passei por isso algumas vezes, mas não tem jeito, minha gente! Se não for desta maneira, passando este pente fino no nosso controle diário de gastos, não saberemos onde o dinheiro está se perdendo.
É aquela história, você vai ao médico controlar o colesterol, ou melhor, à nutricionista e fala que não sabe com o que engorda, porque não é de comer besteiras, nem liga para doces. Mas aí, belisca um pão de queijo no café da manhã ali, uma lasanha aos 4 queijos com vinho aqui, fica horas sem comer, e aí ganhou uns quilinhos extras. Ah tá bom, inocente!
Como não seria possível contratar um detetive para controlar todos nossos hábitos, nós é que precisamos nos ajustar se queremos ter uma vida mais saudável inclusive financeiramente.
Então, repito, não é legal, mas também não será para sempre! É só pelo período de 30 a 45 dias. Pois, como numa dieta de restrição, que não dá para seguir por muito tempo, este método também tem este prazo limitado. O objetivo é que saiba o que te faz gastar mais. Para evitar o desperdício.
Não digo que deva cortar o cafezinho com uma porção pão de queijo, se é o que te faz feliz. Mas sim, considerar que pode compensar esta despesa cortando outra que possa ser supérflua.
Assim, como naturalmente faria para as contas de consumo, buscando reduzi-las, são nos gastos invisíveis que muitas vezes vão embora boa parte da nossa renda sem percebermos. E somente quando fazemos este raio-X anotando cada gasto que temos ao longo do dia é que podemos avaliar melhor.
A anotação seria como no exemplo abaixo:



Mês: Julho
Dia: 01
Despesa
Valor:
Forma de PG
Ônibus
 R$       3,30
Dinheiro
Pão+Café
 R$       4,50
Dinheiro
Almoço
 R$     17,50
Débito
Café
 R$       4,50
Dinheiro
Revista
 R$       9,50
Débito
Sapateiro
 R$     10,00
Dinheiro
Lanche
 R$       9,50
Dinheiro
Hortifruti
 R$     23,50
Crédito
Ônibus
 R$       3,30
Dinheiro
Total
 R$    85,60


Percebe como pequenas despesas ao longo do dia podem causar um rombo no orçamento mensal?
Considerando que, de 20 dias úteis no mês, 10 tenham este gasto médio, serão R$ 856,00 com miudezas. Ao final de um ano, isso representa R$ 10.272,00! Com este valor daria para fazer uma boa viagem!
Como não conseguimos viver sem nossas besteirinhas, futilidades e supérfluos sugiro que defina dentro do seu padrão de vida um percentual mensal para este item. Considere que dentro dele conterá os presentes de aniversário, jantares e datas comemorativas. Cada um terá seu próprio número, e como padrão você pode limitar a 30% da sua renda líquida.
Óbvio, antes de tudo isso, TEM que separar aquela sua reserva financeira, que já citei por aqui. É seu “presente para o futuro”, aquele para a realização dos sonhos, senão nada disso terá sentido.  
Uma pequena mudança de hábito tem um efeito positivo já no presente. E se unir disciplina e planejamento serão surpreendentes no futuro!

Vamos juntos anotar? 



Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...